• Adriana Rielo

Mensagens ocultas da desordem na casa

Atualizado: Abr 25


Quando imaginaríamos que a desordem na casa estaria intimamente ligada à nossa vida?


Por que nos escondemos atrás dessa desorganização?


Há pesquisas na psicologia e em estudos metafísicos que demonstram que a bagunça nos ambientes em que vivemos é um alerta de como está o nosso EU, o nosso interior.


Externamos nossos mais profundos sentimentos pelos espaços e não nos damos conta da interferência que causa no nosso dia a dia e como a nossa vida pode se transformar num caos.


A insegurança, a falta de concentração, os medos traduzem muito bem o que quero dizer. Um exemplo? Medo da falta: "Vou comprar bastante ou vou juntar e guardar tudo porque vai que um dia eu preciso e não tenho?”. Conscientemente sabemos que não há necessidade, mas o subconsciente, com medo, dispara esse gatilho e faz com que a desorganização se instaure.


Há também muitos artigos que relacionam o local da bagunça com a área de nossa vida onde ela mais se reflete: um armário que traduz como estamos emocionalmente; uma cama desarrumada nos diz sobre a dificuldade na vida a dois; itens quebrados guardados com a ideia de arrumar um dia que podem significar objetivos não realizados, assuntos ligados à saúde ou prosperidade. Muitas são as simbologias da desordem na identificação das questões do nosso Eu interior.


Acúmulo de qualquer tipo pode ter o seu lado oculto, sejam de coisas novas ou antigas, um significa perda de direção e o outro viver no passado, respectivamente.


E como resolver tudo isso? Sempre digo que quando focamos na organização, aos poucos vamos nos desfazendo de coisas e sentimentos que consomem o nosso ser. Começamos a nos sentir mais felizes, mais leves e equilibrados. Acredito que todos deveriam passar por essa experiência para saber o quão libertadora ela é, o quanto de energia, de ânimo ela nos traz.


Quer começar? Tenha desprendimento. Coloque na sua mente que o desapego, o destralhar e a limpeza do ambiente significam limpar e purificar sua vida. Pergunte-se se realmente precisa daquilo. Descarte o que não julga mais necessário; se pegou algo emprestado, devolva; se não usa alguma coisa há muito tempo, doe, dê de presente; limpe o local, deixe a luz entrar e a energia circular.


A acumulação, a desordem e a falta de organização bloqueiam nossos objetivos, chances de novas oportunidades, nossa liberdade e, consequentemente, a nossa felicidade!


Se precisar de ajuda, conte comigo!


Adriana Rielo

Organização Prática Criativa



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo